Governança colaborativa para fomentar negócios tecnológicos no AM

Uma governança colaborativa tendo o governo do Amazonas como liderança, unindo diversos setores com o objetivo de desenvolver soluções para novos negócios de bioeconomia e biotecnologia no Estado. Essa foi uma das propostas apresentadas durante o primeiro painel da Semana de Ciência e Tecnologia do Amazonas (SCTA) 2020, que aconteceu nesta quinta-feira (19), no formato webinário, com transmissão pelo canal da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia Inovação no Youtube (Sedecti Amazonas).

A secretária executiva de Ciência, Tecnologia e Inovação, Tatiana Schor, destacou que os diálogos da Semana de Ciência e Tecnologia 2020 têm como meta ouvir a sociedade para que, junto com o governo do Estado, possam criar proposta para a elaboração de políticas públicas e alavancar a biotecnologia no Amazonas. 

“Quando a gente pensa em Inteligência Artificial temos que pensar como as questões estão sendo colocadas no Estado do Amazonas. Nesse propósito, organizamos esses três painéis (dias 19, 24 e 26/11) buscando trazer essa elementos que discutam essa interação entre tecnologia, inteligência artificial, a floresta, a bioeconomia, a biotecnologia, os povos tradicionais e o monitoramento da fauna. Esse é um desafio enorme”, salientou a secretária.

A palestrante convidada, Vania Thaumaturgo que é presidente da Associação Polo Digital de Manaus (APDM) destacou a participação do governo do Amazonas no papel de liderança no ecossistema de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) por meio da realização de várias iniciativas da Sedecti.

“Temos visto como muito bons olhos as várias iniciativas do governo do Estado, por meio da Sedecti, promovendo vários eventos junto às diversas áreas do mercado. Acredito que o governo pode atuar como liderança dessa governança colaborativa, chamando os diversos setores para atuarem, de forma orquestrada, dando um passo importante para atrair mais negócios inovadores, junto ao ecossistema das TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) e alavancar o desenvolvimento de CT&I na região¨, argumentou.

Outro painelista, Carlos Koury que é diretor técnico do Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazoans (Idesam), explanou sobre o negócios sustentáveis de sucesso que acontecem atualmente, como, por exemplo, o agrocafé desenvolvido no sul do Amazonas e os óleos vegetais da floresta.

“Acredito que o governo do Estado pode ajudar a economia oferecendo subsídios, juntamente com o investidor anjo, para potencializar os projetos que estão nas academias e até mesmo se tornando um consumidor dessas tecnologias fomentando assim, esses negócios a partir de seu consumo”, apontou Koury.

Para o palestrante Marcos Dá-Ré, da Fundação Certi, deve haver a conectividade entre as mais diferentes áreas.

“Os setores precisam conversar entre si e se apoiarem senão muitas iniciativas irão morrer. É preciso mudar o mindset e juntar os diferentes, a curto prazo, para evitar que boas ideias morram”, apontou o painelista.

Semana de Ciência e Tecnologia

Promovida pela Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) que é ligada à Sedecti; os próximos painéis da Semana de Ciência e Tecnologia do Amazonas 2020 que este ano tem como tema: “Inteligência Artificial: A nova fronteira da ciência brasileira”, acontecerão nos dias 24 e 26 de novembro.

No Amazonas, a SCTA tem como foco as discussões em torno da utilização de tecnologias inovadoras como propulsoras do desenvolvimento de economias sustentáveis, o monitoramento e conservação dos recursos naturais e a melhoria do acesso à internet em áreas remotas.