Sedecti trata sobre projeto de extração e tratamento de potássio no Amazonas com empresa do setor

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti) recebeu a visita, nesta sexta-feira (16/07), de representantes da empresa Potássio Brasil. A visita teve como objetivo apresentar um projeto de extração e tratamento do minério de potássio em três municípios do Amazonas: Autazes, Itacoatiara e Itapiranga. A intenção é gerar um ciclo completo de desenvolvimento, retirando o potássio de camadas subterrâneas do solo para que ele seja utilizado na fertilização de lavouras.

A reunião foi tratada por meio da Secretaria Executiva de Mineração, Energia, Petróleo e Gás (Semep) e aconteceu no auditório da Sedecti, localizada à avenida Urucará, 595, no bairro Cachoeirinha, zona sul de Manaus.

Segundo os representantes da empresa, o projeto encontra-se em fase de licenciamento ambiental e a construção deve avançar assim que todos os procedimentos forem cumpridos.

Para o secretário executivo da Semep, Marco Antônio Villela, um dos pontos principais do projeto é diminuir a dependência do potássio consumido no Brasil e que é importado do Canadá, da Rússia, da Alemanha e de Israel.

“Com um depósito mineral em Autazes, Itacoatiara e Itapiranga, dentro do país, a distância de transporte será substancialmente reduzida. Também irá gerar mais postos de empregos para a nossa região. Dessa forma, teremos melhorias no aproveitamento dos minerais. É importante entender e acompanhar esse projeto, até que ele comece a produzir os frutos, ou seja, retirando o minério e produzindo emprego e renda para a população, além de receita para o Estado”, declarou Villela.

Projeto

Um dos municípios a receber toda estrutura de implementação e extração de potássio é Autazes (distante 113 quilômetros de Manaus). A cidade também deve se beneficiar com o aumento das receitas fiscais, recebendo mais recursos que podem ser investidos nas políticas públicas, como na construção de escolas, melhorias na qualidade da água, melhorias em estradas e serviços de saúde. Sozinho, o depósito de Autazes é capaz de suprir, nos próximos 30 anos, de 20% a 30% do potássio que o Brasil necessita anualmente.

O diretor da Potássio Brasil, Guilherme Jácome informou que a empresa tem três projetos no Amazonas para a produção de fertilizante de potássio, que será utilizado para melhorar a produtividade da agricultura no país.

“A importância do potássio para o Brasil é a garantia de soberania nacional e, com isso, a garantia para produção interna. Para o Estado do Amazonas significa geração de emprego e renda, além de melhoria na infraestrutura da região, como, por exemplo, na construção de linhas de transmissão que vão proporcionar energia de qualidade e programas sociais e ambientais”, comentou o representante da empresa Potássio Brasil.